29 de jun de 2011

Ah os rios da Babilônia...



Eu devia ter uns 7 anos mas lembro como se fosse hoje. A gente morava numa casa muito legal lá em Santana, acho que na verdade aquela foi a casa mais legal que morei, tinha um quarto gigante com varanda, muito espaço pra brincar, era o máximo!

Lembro que foi nessa época que ganhei minha primeira vitrola, é gente VITROLA! Philips, portátil, funcionava a pilha ou na tomada, vermelha, um luxo de muderrrrna a vitrolinha!

Junto com ela vieram 2 discos, meus primeiros!! Juro que foi uma emoção gande. Sempre gostei muito de música, sempre estive muito perto de música e de todos os tipos. Caipira, rancheira, samba, carnaval, rock, disco, etc. Um dos discos era a trilha sonora da novela
Dancin’ days internacional, que bombava na época, e além de noveleira minha mãe gostava de disco music , minha tia, irmã mais nova de minha mãe que estava na idade de balada também deve ter influenciado na escolha, só sei que ficava altas tardes brincando de dançar, assim tipo a tarde toda!

Essa música voltou pra minha vida agora que comecei a praticar a corrida. Ela é boa, no começo vai calminha e vira uma puta balada boa de dançar, e correr, tem ritmo de passadas, quando corro quem dá meu ritmo é a música que ouço.

Gostava dela quando criança porque é exótica e hoje também porque fala de fé e liberdade.

Colocar um fone de ouvido te separa do mundo, não tem mais o som lá de fora e isso que é o grande lance, a gente que mora numa cidade grande não tem quase nenhum momento de silêncio, presta atenção pra você ver? Mesmo que você more num bairro mais afastado, ou mais residencial sempre tem um barulhinho ao fundo, e isso estressa muito a gente, nos acostumamos, vivemos bem com isso, mas muitas vezes aquela irritação que vc sente sem saber de onde vem é culpa do barulho constante. E com os fones e música a um certo volume você se separa disso por um tempo, soma com a sensação boa que dá o vento bater no rosto, e você correndo sem pensar em praticamente nada, juro pra vocês que é a hora mais feliz do meu dia!

É bom sair do mundo por algumas horas, é o que nos dá forças pra voltar pra ele e seguir o curso. Planejar quais cursos seguir, conversar conosco mesmo sem ninguém pra atrapalhar, ou mesmo deixar o corpo falar e se absorver com o barato que dá quando você vai esquentando, os músculos vão se soltando e ganhando força, a dopamina vai te relaxando e você sente que mesmo fazendo esforço muscular eles estão relaxados, a tensão vai saindo de você, os problemas vão saindo de você, sua respiração entra no compasso e junto com as batidas do coração tem as batidas da música, e você respira e corre...

Posso ser cética, mas gosto da fantasia, gosto da criatividade humana e também me encanto com o conceito de magia. E realmente existem situações, lugares e pessoas mágicas, sabe quando você não consegue descrever a sensação que aquilo ou aquele ou um conjunto de coisas te causa? Então, costumo definir isso por magia, mágico é tudo aquilo que me causa uma sensação muito boa que eu não sei explicar.

O parque Trianon é assim, a luz, o cheiro, as cores, a trilha, não sei... O tempo lá passa diferente, eu entro lá e passa tipo meia hora em cinco minutos! Cada vez, cada hora do dia diferente que você olha pro mesmo lugar ele não é o mesmo, é tipo Elfico.
Correr no Trianon sábado de manhã (a manhã pra mim começa as 9:00 num sábado) ouvindo “Rivers of Babylon” é impagável, faça o teste!

Let the words of our mouth and the meditations of our heart
be acceptable in thy sight here tonight



16 de jun de 2011

What a feeling!

Bom depois de seis meses de pausa I’m Back!!

Passei uma boa parte desse tempo pensando no que escrever e em como levar esse blog adiante, porque bem ou mal eu gosto dele e apesar de só eu e uma meia dúzia de amigos o conhecerem eu gosto bastante de ter um lugar onde dá pra estender um pouco e escrever mais do que os 140 caracteres do twitter.

Enfim, escrevi um milhão e meio de textos que não saíram da minha cabeça, pensei em outro milhão de assuntos e até que um dia tive a ideia de falar um pouco de música.

Mas calma, não é De música, não entendo de música, eu só escuto música. Adoro! Por mim a vida teria trilha sonora como nos filmes, mas... peraí, tem!

Vocês já repararam que em muitos, vários, quase todos os momentos de nossas vidas tem música tocando? Presta atenção, as vezes é de propósito, as vezes é o pentelho adolescente com o celular tocando funk no ônibus, ou o cara que acha que tem um trio elétrico e empurra o axé pra todo o bairro escutar, as vezes é por acaso, no elevador, na sala, no quarto, pode ser uma música que marque um momento ou o momento que transforme a música, mas ela tá lá!

Daí então que eu resolvi falar um pouco da minha trilha sonora e do que cada uma das músicas significa pra mim. Porque acima de tudo a música foi feita para despertar sentimentos, emoções.


E que sentimento é a paixão!

Quimicamente são reações que ocorrem no cérebro despertadas por uma série de hormônios, neurotransmissores e essa verdadeira festa do caqui na sua cabeça te deixa completamente louca, inebriada, confusa, fazendo trapalhadas enfim acaba com a pessoa. Mas é docaralho estar apaixonada! Eu adoro, sou do tipo vamos soltar o freio e deixar vir!

Eu decidi que esse ano vai ser o da virada, primeiro porque é meu ultimo 30, depois porque cansei de ficar só na cogitação, já pensei e repensei tudo o que tinha de pensar e agora chegou a hora da ação.

E é exatamente o que essa música diz:

Take your passion
and make it happen.
Pictures come alive, now I'm dancing through my life
.

Comecei o ano já botando em prática a mais difícil de minhas resoluções, parar de fumar, e não fumo nenhum cigarrinho que seja mais desde 01/01.

Comecei a treinar corrida, e vou participar da São Silvestre no fim do ano, já estou fazendo 12 km em 120 min, e a meta é chegar em 15 km. Quando corro escuto musica, e fiz uma seleção maluca que com o shuffle fica legal e tá funcionando pra animar meu pique durante o treino.

A mudança que essa pratica fez em mim não consigo descrever, é fantástico, sensacional, tipo faz falta, é isso FAZ FALTA!

Junta com a música e a endorfina, dopamina, serotonina, e outros inas que o organismo vai jogando e a música tocando e as pessoas passando e eu me abstraio de uma tal maneira que é quase como gozar.

Sério!

First when there's nothing
but a slow glowing dream
that your fear seems to hide
deep inside your mind.

Não dá pra deixar o medo bloquear a gente de realizar o que sonhamos, para isso amadurecemos, aprendemos, estudamos e planejamos até a hora de colocar em prática, realizar!

Outra resolução minha que já foi pra pratica esse ano foi procurar ao máximo, aprender, entender como funciona e controlar a ansiedade. Eu sei a pretensão monstruosa disso, mas pra quem emagreceu uns 15 kg (ano passado), parou de fumar e tá correndo 12 km, acho que to no caminho certo.

É tudo um bolo só, uma mistura de elementos químicos que nós mesmos produzimos, um conjunto de sentimentos que de tão desordenados colocam uma certa ordem na vida. O lance todo é esperar o bolo assar pra comer com café e ser feliz!