12 de mai de 2016

Foi assim que aconteceu:

Num país que sofre com golpes de estado e governos ditatoriais desde o início de sua história, tinha um povo que sonhava com a liberdade, que mesmo sendo perseguido, mesmo sofrendo com tentativas de aniquilação, sempre se reagrupava, esse povo se espalhou e numa chance de consolidar uma democracia fraquinha elegeu um operário, ora vejam vocês se isto pode! Um OPERÁRIO presidente!

O grupo centrado na Elite, essa que vem golpeando ao longo da história se revoltou, a invenção de que o país era regido pelo estado democrático de direito não era pra isso, era só pra deixar aquele povão quieto, trabalhando calminho, gerando as fortunas que mantinham esse grupo continuando na Elite, mas o Operário foi além, ele teve a audácia de diminuir as diferenças sociais, de melhorar muito a vida de quem vivia na miséria absoluta, de dar poder de compra pra quem nunca teve o direito de TER, o que segurou a mão do pessoal raivoso com isso foi que Ele, o tal operário, que manteve uma política econômica que os mantinha ganhando muita grana, mas eles tramavam pela surdina.

Daí o povo, que continuava fazendo a democracia crescer, a cada dia ia mais acreditando, e lutando, e perdendo, e ganhando, e elegeu uma Mulher! E não uma mulher qualquer, uma mulher guerrilheira, uma mulher de luta, uma mulher que nunca teve uma vírgula mal escrita na história de sua vida, foi eleita, governou meio aos trancos e barrancos, e aquele grupo continuava raivoso, se orquestrando nos subterrâneos. Mas ela foi eleita de novo!

OPAAAA!! DE NOVO NÃO! DE NOVO NÃO PODE! NÃO VAMOS DEIXAR

Gritavam os membros mais expoentes do grupo que agora deixava a surdina para assumir o Congresso Nacional e colocar em prática seu plano asqueroso, levar a cabo o mandato da Presidenta, retomar o poder na base do Golpe de Estado, tudo já estava arquitetado, o tabuleiro já estava montado, o roteiro escrito, inventaram um crime, criaram um cenário, planejaram e estudaram tudo minuciosamente nos porões, onde esse grupo gosta de manter seus segredos cruéis, estavam todos à postos, cada um desempenhando seu papel, tinha o Vice-figurante em “O traidor”, tinha o rato-Lider em “O chantagista”, tinham também umas famílias que distribuíam mentiras e manipulavam uma massa de ignorantes que acreditavam consumir informação, por trás dos panos tinham uns juízes que disfarçavam de legalidade ou atrapalhavam o processo, tudo muito bem amarradinho.

Muita gente gritou, chamou a atenção, mostrou o golpe acontecendo, o mundo inteiro viu, mas o teatro já estava rolando, e todo mundo sabe que é falta de educação interromper uma Peça, então todo mundo ficou assistindo até acabar, e acabou que o Golpe de Estado aconteceu e afastaram a Mulher que ousou ser presidente, que ousou não ceder à chantagem. Acabou que muita gente percebeu também que na verdade, lá no fundo de verdade aquela democracia que diziam existir naquele país que sofre com golpes desde o início da história, nunca existiu de Direito, que vai ter muita gente que ainda vai lutar, que vai morrer, que vai nascer, tem muita gente, com eu, como você, como o operário, como a mulher, que quer construir uma Democracia e vai brigar bastante.
Mas por um tempo ainda vão sofrer, a briga pode ficar muito feia, pois o grupo que recuperou o poder através do golpe, a gente sempre soube que não é do tipo que respeita opiniões contrárias, não é, eles não gostam de quem sabe e conta para os outros que eles são canalhas sanguinários e avarentos, não gostam, e todo mundo viu o que eles são capazes de fazer contra quem ousa atravessar seu caminho.