5 de set de 2009

Sétimo

Estou eu aqui, num sábado a noite, em casa, e acabei de ver um filme muito legal, “Rebobine por favor” (Be Kind Rewind). Este filme foi bem falado na época do lançamento e foi o que me deu vontade de ver, em todas as sinopses diziam simplesmente que era a estória de uns caras que resolviam refilmar os filmes de uma locadora que tinham sido apagados por um acidente. Bom, isso é verdade mas ninguém menciona que é muito mais que isso!

Lendo estas sinópses já deu vontade de ver, mas achava que era mais uma comédia bobinha, e não é!

O filme é beeeem mais que isso! O mote principal é que tudo acontece por que esta locadora fica em um prédio antigo de uma cidadezinha em New Jersey que a prefeitura quer demolir pra construir um novo condomínio chique.

Isso me faz pensar na nossa cidade, São Paulo é uma cidade imensa e que não para de crescer, é maior cidade do Brasil e onde praticamente tudo acontece. Mas no nosso dia a dia esquecemos  da nossa história. Que esta gravada nas casas e predios que foram construídos há centenas de anos e que acabam se perdendo para a construção de mega predios com tudo dentro.

Uma das coisas que me fez vir morar no centro foi pra ficar perto desta história, e me doi o coração ver cosntruções que um dia foram magníficas, como o castelinho da Rua Apa por exemplo, cair aos pedaços e ninguém faz nada! Aliás se sair pela rua perguntando a maioria das pessoas nem sabe o que é e onde fica!

No filme toda a cidadezinha se junta para ajudar o senhor a arrecadar dinheiro para que o prédio não seja demolido e o resultado disso e que eles fazem um filme contando a estória de um cara que nem lá viveu, o que alem de deixar a coisa engraçada também comove.

Este já vai entrar para a minha lista dos 5 melhores filmes que resgatam a época boa que foram os anos 80, o primeiro de todos é ”Hi-fidelity”, onde aliás o mesmo ator participa , o gordiinho Jack Black,  e junto com ele” Durval discos” ambos falam dos discos de Vinil, e agora me lembro do video cassete.

Não sou contra modernidades, aliás adoro tecnologia, mas eu penso que coisas boas tem que ficar na memória. Nada como o som de um vinil, com todos os chiados e pulos ainda é bom, me lembro que juntava meus trocadinhos que ganhava dando aulas particulares e ia direto pras Galerias e voltava pra casa feliz da vida com no mínimo 3 LPs, ficava o dia todo na casa do Mosca, que até hoje tem uma coleção invejável de muitos discos, tempos bons!

Eu também tinha uma bela coleção até bem pouco tempo, mas como já falei a modernidade e a falta de espaço me fizeram passá-los a outras mãos, mas eles estão muito bem cuidados com o Evaldo.

A coisa anda tão depressa que até o CD já está virando coisa do passado, eu por exemplo não compro um tem no mínimo uns 5 anos!

Outra inveção maravilhosa foi o video cassete, até hoje não existe um substituto à altura, claro hoje a gente tem o Blue Ray que tem imagen em alta definição mas não conseguimos deiixar a novela gravando quando temos que sair de casa!

Tá você vai argumentar que existem TVs e até mesmo os aparelhos digitais de gravação, como os Tivos, nos USA, ou as operadoras a cabo e satélite que oferecem o mesmo tipo de serviço, mas estes não são tão práticos e baratos como eram os videos.

Quando penso nesta desvalorizaçao do passado que acontece com a gente me vem logo na cabeça o livro “A Caverna” do Saramago, uns dos caras que considero um gênio, ele trata deste assunto, e conheço várias cavernas em Sampa, lugares fechados onde uma pessoa não precisa sair dos muros pra praticamente nada e tudo isso em nome da segurança e da falta de tempo.

Acho estranho que ao invéz de pensarmos em soluções para que o mundo fique menos violento aparecem estas que aprisionam as pessoas em comunidades restritas onde o cidadão tem sua casa, trabalho e um shopping no mesmo lugar, como se isso adiantasse!

Não seria mais legal se conseguissemos “consertar” o bairro ou a cidade para que possamos sair e ir ás lojas e mercados em paz?

Não estou dizendo que isso é fácil mas também sair demolindo as construções que tem história pra contar e construir monstros no lugar também não me parece a solução!

Dia desses entrei numa discução com um chato do meu trabalho que infelizmente mora aqui perto de casa, o imbecil dizia que pra ele o ideal seria que se demolissem todos os predios “velhos” do centro e construíssem coisas modernas no lugar! Parei de discutir depois que percebi que  não adiantava argumentar que o certo é que se restaurassem estes lugares para que mais pessoas no futuro também os conheçam com uma pessoa que nem entende o que é preservar, deixa que estes tipos se mudem para as cavernas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Palpitem, critiquem, julguem!